Header Ads

Das duas mulheres mortas no Crato em 2019 um acusado tirou a própria vida e outro foi preso



Um balanço feito pela Editoria de Polícia do Site Miséria mostra que, de um total de 13 na região do Cariri, duas mulheres foram assassinadas no decorrer do ano passado em Crato, sendo ambas a tiros. Ainda de acordo com o levantamento, um caso de feminicídio ocorreu no centro da cidade e o outro tipificado como homicídio no bairro Vila Lobo. Em relação ao primeiro crime, o acusado praticou o suicídio e, no outro, o autor terminou preso.

Dia 28 de fevereiro Geane Tavares de Sousa, de 29, foi assassinada a tiros perto da prefeitura no centro de Crato pelo seu ex-companheiro o vigilante Paulo Roberto Carlos Ramalho, de 34 anos, o qual praticou o suicídio. Já no dia 28 de novembro Francineide Jucá, de 39 anos, a “Teidinha” foi morta dentro de sua casa no bairro Vila Lobo. Ela tinha várias passagens pela polícia por assaltos, furtos, lesões corporais e o acusado foi o seu próprio sobrinho Francisco Anaciel Jucá dos Santos, de 24 anos, que está preso.

Nos últimos dez anos – no intervalo de 2010 a 2019 – um total de 31 mulheres foram assassinadas em Crato com média de 3,1 por ano. O mais violento foi 2017 com cinco mulheres mortas no município. Depois vem os anos de 2010, 2012 e 2013 (com quatro pessoas do sexo feminino), além de 2014 e 2018(com três cada. Os anos menos violentos em se tratando do assassinato de mulheres em Crato foram 2011, 2015, 2016 e o ano passado com duas cada.

Nenhum comentário