Header Ads

Fiel que saiu de Pernambuco chega a Juazeiro e cumpre promessa por irmão recuperado da Covid-19

 Fiel que saiu de Pernambuco chega a Juazeiro e cumpre promessa por irmão recuperado da Covid-19

O fiel que saiu de Passira, no interior de Pernambuco, chegou a Juazeiro do Norte nesta quarta-feira (17) a pé, cumprindo a promessa por seu irmão se recuperar da Covid-19. Rubiano Roberto de Moura deixou sua cidade natal em 1° de fevereiro e percorreu 530 quilômetros.

O homem chegou à Igreja de São Francisco, onde agradeceu por cumprir a promessa. O seu irmão, Erick da Costa, e outros familiares viajaram até Juazeiro do Norte para acompanhar a chegada do fiel.

A família, que vestia blusas e faixas com os dizeres “Erick, milagre de Deus”, festejou a chegada de Rubiano.

“A palavra é gratidão. Foi uma experiência única. Só tenho a agradecer a Deus pela cura do meu irmão, por conceder eu chegar em Juazeiro do Norte e pelo meu primo, Oberdan, ter vindo comigo”, relata Rubiano.

Ele relembrou também dos moradores das cidades por onde passou, que ofereceram abrigo e comida a ele e seu primo.

Oberdan Gabriel Pereira, primo de Rubiano, acompanhou o fiel ao longo dos 17 dias. Ele começou a viagem caminhando e, após problemas nos pés, precisou realizar parte do trajeto de carro.

O irmão de Rubiano, Erick, passou dois meses hospitalizado, em estado grave da Covid-19. Ele foi internado em uma unidade de saúde de Passira e, com o agravamento do estado de saúde, foi transferido a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de Recife.

De acordo com a família, os médicos afirmaram que Erick tinha 3% de chance de sobreviver. Após lutar contra a morte, Erick teve alta em setembro e está completamente recuperado.

530 quilômetros

Para interceder pela recuperação do irmão, Rubiano fez duas promessas. A primeira, cumprida em setembro, foi caminhar de Passira até São Severino dos Ramos, uma distância de cerca de 60 km.

Essa promessa serviu de preparação para o percurso até Juazeiro do Norte. Para chegar até a cidade caririense, o fiel andou, em média, 45 quilômetros por dia.

Ele e o primo paravam apenas para fazer refeições e dormir, em pousadas ou casas de moradores das cidades por onde passam.

Após algumas horas de descanso, eles voltavam a estrada por volta de 4h da manhã. No carro, Oberdan leva um isopor com bebidas e alguns poucos suprimentos para o amigo.

Oberdan compartilhou os principais momentos da caminhada em suas redes sociais, valorizando o ato do primo. “Queria que as pessoas vissem o quão grande está sendo essa caminhada”, conta.

Para Rubiano, a felicidade em ver o irmão recuperado recompensou qualquer dificuldade do trajeto.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário