Header Ads

Fevereiro terminou com cinco homicídios em Juazeiro e o ano é 52% menos violento

 Fevereiro terminou com cinco homicídios em Juazeiro e o ano é 52% menos violento

Com cinco homicídios em quatro diferentes bairros, o mês de fevereiro teve cinco assassinatos a menos que janeiro representando uma queda pela metade na matança em Juazeiro. Já na comparação com fevereiro de 2020 foram 18 homicídios a menos, porquanto àquele mês do ano passado que coincidiu com a greve da Polícia Militar teve 23 assassinatos ou 360% a mais que o segundo mês deste ano. Assim, estamos cm 10 homicídios em janeiro e cinco em fevereiro.

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em fevereiro, os bairros onde houve o registro de homicídios foram Antonio Vieira (2 ou sozinho 40% do total) e os demais na Vila Três Marias, Salesianos e Frei Damião. Com isso, no acumulado do ano os bairros Frei Damião e Antonio Vieira lideram como os mais violentos com quatro homicídios casa ou, individualmente, 26,6% do número de assassinatos em Juazeiro.

O mês de fevereiro último remontou a novembro quando tivemos iguais cinco homicídios e determinou uma queda acentuada tornando o ano menos violento. Em 2020, eram 31 assassinatos contra 15 este ano ou 16 a menos representando um decréscimo na ordem de 52% na violência. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 15 – Domingo Francisco da Rocha, de 35 anos, o “Cambota” que residia na Vila Pelo Sinal (Bairro Três Marias), foi morto perto de sua casa por quatro homens que fugiram em duas motos. Ele era usuário de drogas e respondia por crimes de ameaça, posse de arma de fogo, resistência à prisão, furtos e roubos.

Dia 16 – Francisco Rafael Gonçalves da Silva, de 31 anos, o “Rafinha” que residia na Rua José Caetano (Antonio Vieira) e trabalhava como ourives foi morto a tiros na cabeça no adro da Igreja de Nossa Senhora Auxiliadora na Rua Cecília Meireles naquele bairro. Ele respondia procedimento por ameaça contra uma garota.

Dia 19 – Cícero Isac de Lima Silva, de 27 anos, que residia na Rua Maria Vicência (Antonio Vieira) e trabalhava como Motoboy, foi morto a tiros enquanto jogava baralho e bebia na calçada de uma casa na Rua Antonio Domingos dos Santos naquele bairro. Ele era usuário de drogas e o crime foi praticado por um homem que se aproximou numa moto.

Dia 25 – Nicássio Santana da Silva, de 20 anos, que residia na Rua Maria de Medeiros (Triângulo) e era flanelinha, foi morto a tiros por um homem à pé na Rua Coronel Antônio Pereira perto do Orfanato Jesus Maria José (Salesianos). Ele era usuário de drogas, respondia por furtos simples, arrombamentos, assaltos e já tinha sido vítima de duas tentativas de homicídios.

Dia 28 – Gessyladio Fernandes Duarte, de 24 anos, o “Magrão” que residia na Rua Senhor do Bonfim (João Cabral) em Juazeiro, foi morto a tiros na Rua Antonio Bernardino da Silva (Frei Damião). Ele era usuário de drogas e acusado de furtos, roubos, tráfico, tentou matar o traficante “Alisson Pantera” e tinha retornado recentemente de Fortaleza. O principal suspeito seria Joel Soares da Silva, de 19 anos, residente no bairro João Cabral.

Nenhum comentário