Header Ads

Fim de semana no Cariri com três homicídios, feminicídio e morte no trânsito

 Fim de semana no Cariri com três homicídios, feminicídio e morte no trânsito

Se manteve em cinco o número de mortes violentas na comparação entre os dois último finais de semana na região do Cariri. Neste, foram três homicídios, um caso de feminicídio e uma morte em consequência de acidente de trânsito com três corpos de Crato e os demais de Brejo Santo e Juazeiro do Norte. Segundo levantamento feito pela editoria de polícia do Site Miséria, três mortes aconteceram no sábado e as outras duas neste domingo.

Por volta das 18 horas de sábado, na Rua Roberto Marinho do Conjunto Nossa Senhora da Penha (Bairro Seminário) em Crato, Adriano dos Santos Pereira, de 21 anos de idade, foi executado a tiros. Ele não tinha passagens pela polícia e, segundo testemunhas, o crime foi praticado por dois homens que fugiram numa motocicleta pelas ruas do bairro em alta velocidade.

Cerca de meia horas depois, porém na Avenida José Alves de Figueiredo perto do canal (Bairro Pimenta) igualmente em Crato, o flanelinha Ítalo Gomes Rodrigues, de 21 anos completados em fevereiro que era conhecido por “Ítalo Galego”, foi morto a tiros. Ele residia no Conjunto Vitória Nossa (Bairro Seminário) daquele município.

Às 23 horas, ainda de sábado, morreu no Hospital de Brejo Santo Maria Meyrailda Izidório Calista, de 36 anos, que residia na Rua Antonio Hermenegildo da Silva no bairro Morro Dourado. Cerca de dez horas antes, a mesma foi lesionada a golpes de faca no pescoço por seu ex-companheiro Antonio Alves Gondim, de 47 anos, que tentava reatar o relacionamento. O crime aconteceu no Sítio Pau Branco na zona rural de Brejo Santo e o acusado foi preso por militares do RAIO.

Já às 13 horas deste domingo o pedreiro Antonio Manoel dos Santos, de 43 anos, que residia na Rua Luciano Torres de Melo (Frei Damião) morreu no Hospital Regional do Cariri (HRC) em Juazeiro. Às 18h30min do dia 27 de fevereiro, ele seguia para casa pilotando sua moto pela Rua Manoel Tavares Lopes, naquele bairro, quando colidiu noutra moto. O mesmo foi socorrido com suspeita de traumatismo craniano, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos e faleceu oito dias após o acidente.

Por volta das 19 horas, ainda no domingo, o comerciante Gilmar Francelino da Silva, de 53 anos, o “Gilmar do Mangueiral” foi morto com um tiro em frente ao seu Bar do Mangueiral no Sítio Buenos Aires por trás do Conjunto Palmeiral. Ele bebia com amigos quando discutiu com uma pessoa identificada por “Gabriel” e sacou uma arma atirando no desafeto que fugiu sem ser atingido. O Soldado Marcelo do RAIO estava no local e interveio dando voz de prisão a Gilmar em virtude da tentativa de homicídio e porte ilegal de arma de fogo. O comerciante teria apontado a arma na direção do PM que atirou, causando sua morte.

Nenhum comentário