Header Ads

Pesquisadores preveem pico da segunda onda de Covid-19 entre 12 e 22 de março no Ceará

 Pesquisadores preveem pico da segunda onda de Covid-19 entre 12 e 22 de março no Ceará

Um estudo feito por dois pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará (Uece), em Fortaleza, prevê um novo pico de casos e óbitos por Covid-19 no estado entre os dias 12 e 22 de março. O Ceará enfrenta aumento de casos e mortes em decorrência da doença desde outubro do ano passado. Em Fortaleza, vários hospitais da rede privada já estão com 100% de ocupação nos leitos. A probabilidade de que a previsão esteja correta, segundo os pesquisadores, é de 98%.

O pesquisador Nonato de Castro explica que a preocupação vem a partir da segunda semana de março, começando no dia 12, e que ela é gerada pelo índice de contaminação das pessoas que foram diagnosticadas com o vírus há algumas semanas, principalmente no período do carnaval. Mesmo com as festividades canceladas no estado, foram observadas várias ocorrências de festas clandestinas com pessoas aglomeradas no período carnavalesco.

“A gente cata os dados do IntegraSus, ou seja, dia a dia, e a gente vai observando como é que está a curva de contaminados e a curva de mortes. Quando essa curva começa a apontar uma certa estabilidade, é quando ela está chegando no pico. Espera-se que para as próximas semanas, isso venha a ocorrer. O problema é que podemos estar chegando no pico, numa situação muito agravante”, alerta o pesquisador Nonato.

Nonato, ao lado do pesquisador, Antônio Cruz Vasquez, projetou a ocorrência do pico da doença no ano passado e acertaram a data. A pesquisa, feita a partir de dados coletados no IntegraSus, administrado pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), é feita a partir de um cálculo automatizado com o chamado modelo SIR, que inclui na equação matemática pessoas: Suscetíveis (S), Infectados (I) e Retirados (R); que engloba os recuperados e mortos.

“Na primeira onda, os casos estavam começando, nós começamos a modelar no dia 15 de março e o Ceará tinha três casos. Ou seja, as contaminações se aceleravam, porém o poder público tinha uma certa forma para montar os hospitais de campanha que foram feitos para montar as UTIs, e para o próprio profissional de saúde começar a se preparar para atender essa nova doença. Na chamada segunda onda, você já tem o vírus espalhado por todo o estado, ou seja, é mais difícil o remanejamento”, afirma Nonato.

O pesquisador alerta que, mesmo o Ceará já tendo vacinas contra a Covid-19, o fato da segunda onda estar se alastrando no estado vai tornar o processo mais lento, já que todas as cidades do estado já tiveram contato com o vírus.

Aumento de mortes por Covid-19 no Ceará

O número de mortes por Covid-19 continuou acelerando no Ceará em fevereiro de 2021, o mês mais letal da pandemia desde agosto de 2020. Até esta quarta-feira (3º), a Secretaria da Saúde confirmou 686 óbitos pela doença apenas no mês passado. A letalidade é ainda maior porque parte dos óbitos ocorridos em fevereiro ainda aguarda confirmação.

As mortes por Covid-19 no desaceleraram entre maio e novembro, mas voltaram a crescer em dezembro e seguiram acelerando nos dois meses seguintes.

Em dezembro, o governador Camilo Santana afirmou que as aglomerações ocasionadas em festejos de fim de ano influenciaram no aumento de casos e mortes pela doença.

Combate à segunda onda

O governador Camilo Santana anunciou na sexta-feira (26) o aumento no horário do toque de recolher no Ceará. A partir do sábado (27), ficou proibida a circulação de pessoas e veículos nas ruas entre 20h e 5h, de segunda a sexta-feira, e entre 19h e 5h, aos sábados e domingos, com saídas permitidas somente em caso de necessidade extrema. A medida vale até o dia 7 de março.

Veja outras medidas no novo decreto:

  • Comércio de rua funciona de segunda a sexta-feira até as 17h. As outras atividades econômicas e as religiosas, até 19h.
  • Serviços essenciais podem funcionar após esse horário. No sábado e domingo, restaurantes funcionam até as 15h, e outras atividades econômicas e religiosas até as 17h;
  • Espaços públicos continuam com circulação restrita todos os dias a partir das 17h;
  • Igrejas devem realizar suas atividades com até 30% de sua capacidade, e estimular as celebrações de forma virtual;
  • Academias de ginástica devem funcionar com 30% de sua capacidade, devendo fazer o agendamento de horários para o devido cumprimento de todos os protocolos sanitários;
  • Continua remoto o trabalho para servidores públicos, com exceção das atividades essenciais. Recomendação para a mesma medida junto ao setor privado;
  • Seguem as barreiras sanitárias em Fortaleza, com recomendação para o controle por parte dos municípios no Interior;

Camilo afirmou, ainda, que segue dialogando com o setor da educação para avaliar a forma mais segura do retorno presencial das atividades, continuando até lá de forma remota. O governador também conversa com o setor de bares e restaurantes para discutir medidas de apoio. Novas medidas devem ser anunciadas no começo da próxima semana. “Todas as medidas têm um único objetivo: proteger os cearenses e salvar vidas”, disse o governador.

Fonte: G1 CE

Nenhum comentário