Header Ads

Cinco pessoas são assassinadas em uma semana em Caucaia; cidade é a 2ª mais violenta do país

 Cinco pessoas são assassinadas em uma semana em Caucaia

Cinco pessoas foram assassinadas em Caucaia em uma semana. Os homicídios são reflexo do conflito entre facções e falta de segurança no município. Isso coloca Caucaia como a segunda mais violenta do Brasil, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado na quarta-feira (23).

O caso mais recente foi o assassinato de um vendedor de churrasco na noite desta quinta-feira (24). De acordo com a Polícia Militar, o crime ocorreu na Rua Maria Luiza Soares, no Garrote. No local, os militares localizaram a vítima de 44 anos sem vida após ser atingido disparos de arma de fogo. Ainda conforme os policiais, os tiros foram disparados na região da cabeça.

Os policiais receberam informações de testemunhas que os suspeitos chegaram na residência da vítima que funciona também um estabelecimento comercial (venda churrasco). Ainda de acordo com moradores, uma televisão foi levada e o proprietário foi morto a tiros. Suspeitos fugiram. O crime vai ser investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Cadáver achado em veículo

Na quarta-feira (23), um homem foi encontrado morto com marcas de tiros no banco de passageiro de um carro abandonado em uma rua do Bairro Capuan. O motorista do veículo não foi localizado.

Segundo testemunhas, suspeitos que estavam em outro automóvel se aproximaram do carro onde estava a vítima e realizaram vários disparos de arma de fogo contra ela, fugindo em seguida. A polícia suspeita que o homem seja envolvido com uma organização criminosa da região e teria sido morto por rivais.

As polícias Civil e Militar realizam buscas na área para tentar capturar os autores do crime e localizar o motorista que estava com a vítima no veículo.

Casal morto em matagal

No início da semana, na segunda-feira (21), um casal foi encontrado morto com marcas de tiros em uma estrada carroçável na localidade de São Pedro. A identificação das vítimas não foi divulgada.

De acordo com policiais do 12º Batalhão, após receber uma ligação anônima sobre o achado dos cadáveres, os agentes iniciaram as buscas para tentar localizar os corpos. Após duas horas fazendo uma varredura na área que tem bastante vegetação, os PMs localizaram as vítimas.

Dados da violência no país

Quatro cidades do Ceará estão entre as 10 mais violentas do país, com Caucaia no segundo lugar do ranking, em relação à média anual de homicídios dolosos e na taxa dessa média por 100 mil habitantes entre 2018 e 2020. Maracanaú (3º), Maranguape (7º) e Juazeiro do Norte (8º) também compõem a lista.

Os dados são do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que divulgou nesta quarta-feira (23) uma nota técnica que traz um levantamento que ordena os 120 municípios mais violentos do país.

Levando em consideração apenas a taxa média de homicídios dolosos no período do estudo, seis cidades cearenses estão entre as 15 mais violentas. São elas Pacajus (3ª colocação), Aquiraz (4ª), Caucaia (5ª), Maranguape (10ª), Maracanaú (11ª) e Juazeiro do Norte (14ª).

“A ordenação dos municípios por essa nota geral trata de forma complementar o número e a taxa de homicídios. Ao dar um peso maior aos municípios com maiores taxas de homicídios, garante que o programa comece nos locais em que a situação é mais grave”, explicam os pesquisadores do Ipea Danilo Coelho, Alexandre Cunha, Henrique Alves e Erivelton Pires Guedes, autores do estudo.

Taxa média de homicídios dolosos

Ainda segundo o mesmo estudo, baseada apenas na taxa média de homicídio dolosos, Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza, aparece em terceiro lugar, com taxa de variação de 193% de homicídios dolosos entre 2019 e 2020 e taxa média de 89,3.

Os dois primeiros lugares da lista são as cidades de Cruzeiro do Sul (AC), com taxa média de 146,7, e Rio Branco (AC), com 93,4.

As outras cidades cearenses que aparecem no ranking das 15 mais violentas nesse quesito são: Aquiraz (4º), Caucaia (5º), Maranguape (10º), Maracanaú (11º) e Juazeiro do Norte (14º).

“A ordenação pela nota geral torna mais rápida a redução do homicídio total na medida em que o programa seja bem-sucedido e avance, enquanto que a ordenação pela taxa garante prioridade para os municípios em que o problema é mais grave”, esclarecem os pesquisadores.

Fonte: G1 CE

Nenhum comentário