Header Ads

110 Anos de Emancipação: Como Juazeiro do Norte se tornou cidade?

 

Juazeiro do Norte completa 110 anos de emancipação política nesta quinta-feira (22). A vila cratense que se transformou na cidade mais populosa do interior do Ceará é lar de cerca de 276 mil pessoas, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A cidade é um verdadeiro aglomerado de pessoas vindas de diversas partes do país e nacionalidades. É o principal polo econômico do interior do Ceará, mas se faz diretamente ligado às economias de municípios dos estados de Pernambuco, Paraíba e Piauí. Juntamente com Crato e Barbalha, compõe o aglomerado Triângulo Crajubar, que tem uma população estimada em cerca de 480 mil habitantes.

Mas como Juazeiro do Norte chegou até aqui?

Pois bem, em 1827, o padre Pedro Ribeiro de Carvalho deu ordem para a construção de uma capela na localidade de Tabuleiro Grande, na estrada que ligava Crato à Missão Velha. A estrutura defrontava com um pé de juazeiro. Esta seria a origem do nome Juazeiro do Norte, já que na Bahia já havia sido criado um município chamado Juazeiro.

A pequena capela foi consagrada à Nossa Senhora das Dores, que futuramente se tornaria a padroeira de Juazeiro do Norte. Em 11 de abril de 1872 o padre Cícero Romão Batista assumiu o comando do templo, como sucessor do padre Pedro Ferreira de Melo.

Durante uma missa em março de 1889, o Padre Cícero ministrava a comunhão quando, ao colocar a hóstia na boca da beata Maria de Araújo, esta se transformou em sangue. O fato teria se repetido por mais algumas vezes. Foi visto no episódio um milagre. A história logo se espalhou.

Católicos de todo o Nordeste passaram a visitar o então povoado de Joaseiro em busca dos conselhos e bênçãos do “Padim Ciço”. A localidade foi crescendo vertiginosamente. Cícero Romão Batista, além de notável líder religioso, era um líder político nato, chegando a ser vice-governador do Ceará.

O distrito de Núcleo de Juazeiro foi criado através do Ato de 30/07/1858 e pela Lei Municipal nº 49, de 12 de novembro de 1911, sob pertencimento do Crato. Logo após, foi elevado à categoria de vila Juazeiro através da Lei Estadual n.º 1.028, de 2 de julho de 1911, desmembrando-se do Crato.

O historiador Carlos Furtado destaca outras lideranças que também contribuíram para a emancipação de Juazeiro do Norte. “A rua Alencar Peixoto carrega o nome de um dos mais destacados líderes da emancipação juazeirense. Ele defendeu a emancipação da então Vila chamada Joazeiro do Cariry, através de seu jornal chamado O Rebate, fundado em 1909”.

“O primeiro editorial do Rebate, datado de 18 de julho de 1909, trouxe a imagem do padre Cicero Romão Batista, a principal figura no arranjo político, que deu sustentação a emancipação da vila. Outra figura importante para essa cidade foi o médico baiano Floro Bartolomeu, que encabeçou, junto com o padre Cicero, a luta pela emancipação”, destaca Carlos.

Em 12 de novembro de 1911, através da Lei Municipal n.º 51, é criado o distrito de Horto, que é anexado à vila de Juazeiro. E, por fim, é elevado à condição de cidade através da Lei Estadual n.º 1.178.

Nenhum comentário