Header Ads

Ceará aguarda nota técnica para definir normas de vacinação de bancários e profissionais dos Correios

 Ceará aguarda nota técnica para definir normas de vacinação de bancários e profissionais dos Correios

O estado do Ceará aguarda o envio de uma nota técnica do Ministério da Saúde para definir as normas de vacinação contra a Covid-19 de bancários e profissionais dos Correios, segundo informou a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) ao G1, na manhã desta quarta-feira (7). O anúncio de que os profissionais seriam incluídos em um grupo prioritário da vacinação foi feito na noite desta terça-feira (6) pelo Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Atualmente, o Ceará segue vacinando a população por idade e conta com apenas um grupo prioritário, o de gestantes e puérperas. Por conta disso, a Sesa acredita que a maioria dos profissionais de bancos e Correios já tenham sido imunizados com a vacina contra o novo coronavírus. No entanto, a pasta ainda aguarda o envio de uma nota técnica pelo Ministério da Saúde para a definição de normas.

Vacinação do grupo

A estimativa é que as duas categorias reúnam quase 600 mil pessoas em todo o Brasil.

“Duas categorias muito importantes, a categoria dos bancários e dos servidores de Correios e Telégrafos estão na linha de frente. São muito importantes”, disse o ministro da Saúde, Queiroga.

O ministro e os presidentes das entidades participaram de uma reunião, na qual também estava o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Casa Civil.

“Recebemos há cerca de três semanas uma demanda dos servidores, bancários e também dos Correios e Telégrafos para que eles fossem incluídos na categoria prioritária do Programa Nacional de Imunização (PNI)”, afirmou.

Segundo o ministro, ambas as categorias elaboraram relatórios sobre o adoecimento de profissionais, que foi submetido ao Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e ao Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde). Os representantes dos órgãos não participaram do anúncio.

O ministro afirmou que a decisão do PNI foi técnica e uma nota será publicada na sexta-feira (9) para orientar a aplicação de vacinas nestes profissionais.

A data de vacinação e como essa prioridade será colocada em prática depende de como estados e cidades, que têm autonomia, irão organizar a convocação do grupo a partir das previsões de doses que serão divulgadas pelo governo federal.

No evento, o ministro disse que o governo tem um cronograma de vacinação “muito bem organizado”.

“Só nos últimos cinco dias nós distribuímos 13,5 milhões de doses. Essa narrativa que a campanha está atrasada, isso aí já se dissolveu, né. Veja, narrativa da Copa América, que iria criar um aumento da pandemia. O que aconteceu? A pandemia caiu”, afirmou o ministro da Saúde.

Fonte: G1 CE

Compartilhar
 
 
 

Nenhum comentário