Header Ads

Ocupação de UTIs e enfermarias para pacientes com Covid-19 no Ceará é a menor desde abril de 2020

 Ocupação de UTIs e enfermarias para pacientes com Covid-19 no Ceará é a menor desde abril de 2020

As taxas de ocupação em leitos de UTI e enfermaria exclusivos para pacientes com Covid-19 são as menores já registradas no Ceará desde abril de 2020. A pandemia iniciou oficialmente no estado, um mês antes. Os dados constam na plataforma IntegraSUS, gerenciada pela Secretaria da Saúde do estado e foram coletados na tarde desta terça-feira (20).

Os casos e óbitos provocados pelo coronavírus vêm decrescendo no Ceará desde o fim da segunda onda, ocorrida entre março e maio deste ano. Por esse período ter sido mais longo e ter atingido mais pessoas, o governo do estado precisou expandir os leitos de atenção a fim de dar vazão às necessidades sanitárias.

Durante a segunda onda, unidades hospitalares saturaram, houve aumento das mortes por Covid-19 e dificuldade em obter oxigênio e ‘kit intubação’.

Enquanto em março e abril, o Ceará viu hospitais chegarem a 100% de ocupação de leitos de UTI; atualmente, o estado tem 50,13% de ocupação dessas unidades voltadas a pacientes mais graves. Número tão baixo só foi observado em setembro do ano passado, quando 50,34% estavam ocupados.

Da mesma forma, a ocupação das enfermarias exclusivas para pacientes com Covid-19 também é a mais baixa. Na última sexta-feira (16), o índice era de 25,84%, o mais baixo já registrado na série histórica, de acordo com o IntegraSUS. Embora o número tenha evoluído para 28,02% nesta terça-feira (20), ainda continua bem abaixo dos 80% atingidos durante o pico da segunda onda.

Hospitais desafogados

O Hospital Leonardo da Vinci, unidade de referência no tratamento de casos de Covid-19 no estado, por exemplo, está com 59 dos 107 leitos de UTI disponibilizados nesta terça. A unidade chegou a ficar próxima do colapso durante semanas consecutivas neste ano.

O Hospital da Messejana Carlos Alberto Studart Gomes, que teve ocupação máxima de pacientes em alta e média complexidade durante a segunda onda, agora oferta 28 leitos, dos quais 14 estão com pacientes graves.

Na região Norte, em Sobral, o Hospital de Campanha Dr. Francisco Alves está com 10 dos 30 leitos para pacientes com quadros graves ocupados.

‘Pandemia não passou’, diz secretário

Na mais recente atualização do decreto estadual de combate ao coronavírus, em 9 de julho, o secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, afirmou que a taxa de transmissão do vírus está “com tendência de mais queda, mas isso não significa que a pandemia passou”.

O secretário ressaltou que a população deve manter a prevenção, uma vez que novas ondas podem vir a atingir a população, especialmente com a chegada da Variante Delta, no Brasil. Casos dessa variação do coronavírus ainda não foram registradas no Ceará.

O decreto que está em vigor deve ser atualizado até o fim desta semana pelo governador Camilo Santana (PT). As normas estão sendo atualizadas a cada 15 dias.

Fonte: G1 CE

Nenhum comentário