Header Ads

Pastor preso por estupro em Crato diz que era assediado e delegada fala sobre o caso

 Pastor preso por estupro em Crato diz que era assediado e delegada fala sobre o caso

Já está na cadeia pública de Juazeiro à disposição da justiça de Crato o pastor Daniel Medeiros Batista, de 48 anos, sob acusação de assédio e abuso sexual contra fiéis da Igreja Assembleia de Deus Ministério Pagiel. Na tarde desta quarta-feira ele foi preso no bairro no bairro Vila Alta em Crato quando policiais civis cumpriram um mandado judicial representado pela delegada titular da DDM em Crato, Kamila Brito.

Ela disse ter recebido denúncia formulada por uma vítima do pastor Daniel quando acusou o mesmo de assédio a partir de contatos telefônicos e, posteriormente, estupro. A queixa apresentada na DDM terminou encorajando outras vítimas do pastor evangélico no que robusteceu ainda mais o Inquérito Policial presidido pela Doutora Kamila a qual representou pela prisão do acusado perante o poder judiciário, sendo imediatamente atendida.

No início da noite desta quarta-feira o pastor Daniel prestou depoimento na Delegacia da Mulher em Crato quando negou assédio junto às fiéis da Igreja. Pelo contrário e, segundo ele, era assediado por algumas que até são mulheres casadas. Após a oitiva, foi submetido a exame cautelar na Perícia Forense do Cariri e recolhido à cadeia pública de Juazeiro. A delegada não descarta a possibilidade do surgimento de outras vítimas e, na tarde de hoje, tomará o depoimento da esposa do pastor.

No site do Tribunal de Justiça do Ceará o nome do Pastor Daniel é citado em dois procedimentos. O primeiro deles, de novembro de 2019, quando moveu uma ação por danos morais contra a Enel Distribuidora de Energia junto ao Juizado Especial Cível e Criminal de Crato cobrando indenização. O outro é anterior, maio de 2018, quando é citado num procedimento, na forma de carta precatória requerida por Selmo Medeiros Batista, que tramitou na Vara Única de Família e Sucessões da Comarca de Crato.

Nenhum comentário